Belo Horizonte – Polo Cultural do Brasil

“Belo Horizonte é uma metrópole diferente, cercada por exuberantes paisagens da natureza, belíssimas cachoeiras e grutas. Com clima privilegiado e cercada pelas montanhas da Serra do Curral, Belo Horizonte tem despertado a atenção pelo potencial ecoturístico. A poucos quilômetros do centro existem diversos roteiros para inesquecíveis passeios ecológicos, com trilhas que escondem centenas de nascentes e riachos, cachoeiras e poços de águas cristalinas. Pequenos bares e restaurantes próximos às trilhas oferecem a típica comida mineira em fogão de lenha. Para quem gosta de adrenalina, a região é ideal para a prática de diversas modalidades de esportes de aventura. Belo Horizonte é ponto de partida também para passeios históricos. Nas cidades históricas, pode-se apreciar a riqueza da arquitetura e do barroco mineiro, que traduzem a história do estado e do país.” Fonte: Belotur.

Belo Horizonte – Polo Cultural do Brasil

Neste post – e em mais alguns futuros – relato sobre alguns pontos turísticos de Belo Horizonte. Para aqueles que acham que em BH não tem o que fazer, provarei que estão totalmente enganados.

Belo Horizonte completa 125 anos de existência em dezembro de 2022, mas ainda permanece vibrante, jovem e vigorosa. “Beagá” ou ainda “Belô”, está sempre aliando desenvolvimento e modernidade com a preservação de sua beleza arquitetônica, de seus jardins, parques e praças. Belô é uma cidade múltipla e um dos mais importantes polos industriais e econômicos do país. Beagá é uma capital em constante movimento, que avança em ritmo acelerado, mas prima pela qualidade na prestação de serviços e se orgulha de ser considerada a cidade brasileira de excelência médica.

Não é à toa que Belo Horizonte tenha sido escolhida como palco de grandes eventos nacionais e internacionais. Além de oferecer o que há de melhor em serviços, aqui o visitante é convidado a se sentir em casa e a desfrutar de um dos mais importantes quesitos de um grande destino: seus valores humanos. Belo Horizonte cresceu e segundo projeção de 2019, tem aproximadamente 2,5 milhões de habitantes e a sua região metropolitana, a Grande BH, é a terceira maior do país. Beagá é uma metrópole com ares de cidade do interior.

É considerada a capital nacional dos bares e da cultura, e destacam-se principais atrativos históricos e culturais, nomeados também como conjuntos urbanos, que são: Praça da Liberdade, Avenida João Pinheiro e entorno, Rua da Bahia, Avenida Afonso Pena, Praça Rui Barbosa e adjacentes, Orla da Pampulha, Mercado Central, Museu Abílio Barreto, Parque das Mangabeiras, Praça do Papa e tantos outros. Como os pontos turísticos de Beagá são muitos, hoje escreverei somente sobre alguns, terei oportunidades de descrever outros futuramente. Então vamos lá!

“City Tour” Pela Orla da Pampulha

Casa do baile. Foto: Arquivo Pessoal

A Casa do Baile foi projetada por Oscar Niemeyer em 1940, inaugurado em 1943 e funcionou até 1948, como um famoso salão de dança de Belo Horizonte. A construção circular, que fica numa ilha artificial, possui uma pitoresca ponte de onze metros e chama a atenção pelas formas sinuosas das fachadas, que sugerem quase uma continuidade da Lagoa. Depois de uma reforma acompanhada pelo próprio Oscar Niemeyer, foi reinaugurado em 2002 com as mesmas características originais e abriga uma espécie de memorial voltado à arquitetura e ao design.

O Museu de Arte foi o primeiro projeto de Niemeyer na Pampulha. Funcionou como cassino, o primeiro da cidade, até ser fechado em 1946, devido à proibição do jogo no país. Passou a funcionar como museu em 1957, quando era conhecido como “Palácio de Cristal”. Suas instalações possuem biblioteca, loja de souvenires, café e salas de multimídia. O acervo do MAP é constituído de 900 obras.

Museu de Arte da Pampulha. Foto: Arquivo Pessoal.
Igreja de São Francisco de Assis. Foto: Arquivo Pessoal

A Igreja de São Francisco de Assis mais conhecida como “igrejinha da Pampulha” foi inaugurada em 1943. Obra arquitetônica de Oscar Niemeyer, que desenvolveu um belo jogo de curvas e contracurvas, remetendo à arte mineira colonial e às montanhas de Minas. Painéis internos e externos de Cândido Portinari, considerada a sua obra mais significativa. Os jardins são assinados por Burle Marx.

Relata-se na história um “caso” curioso sobre a igrejinha: Do lado externo existe um painel que retrata São Francisco de Assis e um lobo; no lado interno, um cachorro. Segundo Portinari, tais painéis contam a história de uma vila, da qual seus moradores vieram a São Francisco reclamar de um lobo que constantemente atacava a região e matava as criações dos habitantes. São Francisco, por sua vez, foi à procura do lobo e, ao encontrá-lo, o domesticou. Era, então, como se o lobo tivesse se transformado em um cachorrinho.

Painel Externo da Igreja São Francisco. Foto: Arquivo Pessoal

O painel interno causou extrema confusão na comunidade da época, pois, ao invés de conter imagens sacras no altar, continha a imagem do cachorro. Mas, apesar das críticas, a igreja foi inaugurada, e, na celebração da sua primeira missa, aparece no local um cachorro. Não se sabe como nem de onde, mas este ficou durante todo o tempo da missa dentro da igreja, apesar das tentativas em vão de o expulsarem. A partir desse fato, a população passou a aceitar os painéis.

Na Pampulha ainda temos:

• Fundação Zoobotânica, projetada por Niemeyer e que mais de 1100 animais e vegetação nativa de cerrado.

• Mineirão – inaugurado em 1965, segundo maior estádio coberto do mundo, ajudou a levar o futebol mineiro para lugar de destaque e dotou o público de um espaço adequado para assistir a grandes espetáculos do futebol profissional, além de grandes shows. 

• Mineirinho – inaugurado em 1980. É um ginásio poliesportivo coberto, com capacidade para 25 mil pessoas, onde ocorre além de esportes, shows, eventos e feira.

Estes são alguns dos lugares exuberantes e interessantes para se conhecer em Beagá. Em breve postarei outros.


Últimas Postagens – Viagens e Passeios


Gostou do texto? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Índice – Viagens e Passeios

Assine meu blog

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Todos os Posts

Abacaxi Alface Amor Amor Além do Tempo Angu Ano novo Arroz Aveia Babaganoush Banana Berinjela Camarão caseiro Ceia Cenoura Coimbra Comida da vovó Comida mineira Conceitos e Teorias Cozinha Brasileira Cozinha espanhola Cozinha francesa Cozinha Internacional Cozinha Mineira Cozinha portuguesa Cozinha árabe Dia a dia Divertimento Editora sete autores Encanto Ervilha Espaguete Espiritualidade Farofa Frutos do mar Fusion food Gastronomia Gostosura Grão de bico História da alimentação História da gastronomia Homus Idade media Idade moderna Infância Inhame Irlanda Itália Lanche sem Lactose lanche vegano Lançamento Leite vegetal Linguiça Lombo Maracuja Massa Massa fresca massa italiana Massas Maçã Menu Natalino Milagre das rosas Mineirice Molhos Networking Parceria Passeio pasta pasta italiana Pate Pate de berinjela Pate de cenoura Pate de ervilha Patês Petisco Poesia Portugal Psicografia Purê Páginas Perdidas Pão Quaresma Quinoa Rabanada Receitas Receitas reveillon Romance mediúnico Saladas Saudavel Saudável Sem Lactose Sobremesas Sobremesas sem lactose Tomate Vegana Veganismo Vegetariana Viagem Vídeos Youtube

Escritora, Produtora de Conteúdo, Publicitária e Gastrônoma.

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: