É um dos petiscos preferidos nos bares em todo o Brasil. O torresmo é uma preparação feita a partir do toucinho de porco cortado em pequenos pedaços e fritos até ficarem crocantes e chegou ao Brasil por intermédio dos colonizadores portugueses. Na época, era somente uma forma se se obter a banha de porco, uma gordura muito utilizada na culinária. Na Bahia, os escravos africanos passaram a consumir o torresmo diretamente.

Ainda durante o período colonial, o torresmo passou a fazer parte do cardápio mineiro, sendo servido junto com feijão tropeiro, com a feijoada, com o tutu ou ainda consumido sozinho, como um petisco, acompanhado de um aperitivo, a cachaça mineira.

Torresmo

Categoria: Acompanhamento / Guarnição, Petisco

Especificação: Carne Suína

Rendimento: 2 porções

Tempo de Preparo: 1 hora

Dificuldade: Fácil

Ingredientes:

  • 200 gramas de toucinho de barriga
  • 5 dentes de alho, bem picado
  • 50 mililitros de óleo
  • Sal, q.b.[1]

[1] Q.b. – quanto bastar.

Modo de Preparo:

Corte o toucinho em cubos ou em pedaços retangulares. Ponha em uma tigela e tempere com sal e alho. Deixe descansar por, no mínimo, 30 minutos. Coloque o toucinho e o óleo em uma panela grossa, leve ao fogo alto e deixe começar a fritar. Abaixe o fogo e frite os torresmos, mexendo de vez em quando, até ficarem cozidos, porém ainda macios. Tire os torresmos com uma escumadeira e reserve. Aqueça bem a gordura e volte os torresmos para pipocar. Escorra sobre papel absorvente, passe para um prato e sirva imediatamente.


Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@adrianatenchini

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.


Escritora, Produtora de Conteúdo, Publicitária e Gastrônoma.

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

É o nosso arroz do dia a dia! Arroz pilaf é o nome utilizado em uma cozinha comercial ao se preparar um arroz branco. Pilaf é um método de preparo onde cada grão de arroz fica separado e fofo – arroz soltinho. Este método tem origem no Oriente Médio, entre os turcos e persas. Seus primeiros registros estão descritos nas histórias de Alexandre Magno.

O Arroz Pilaf foi servido para Alexandre, o Grande em um banquete, os seus soldados levaram a preparação de volta a Macedônia e o método se espalhou por toda a Grécia Antiga. Os árabes e judeus posteriormente desenvolveram a sua confecção. Na cozinha indiana, o arroz pilaf é acrescido de especiarias, tais como, cardamomo, anis estrelado e canela em pau.

Arroz Pilaf

Categoria: Acompanhamento / Guarnição

Especificação: Arroz

Rendimento: 2 porções

Tempo de Preparo: 25 minutos

Dificuldade: Fácil

Ingredientes:

  • 100 gramas de Arroz branco
  • 20 ml óleo de soja
  • 2 dentes de alho
  • 20 gramas de cebola em brunoise
  • 200 ml de caldo de legumes
  • Sal, q.b.[1]

[1] Q.b. – Quanto bastar.

Modo de Preparo:

Refogar o alho e a cebola no óleo até dourar. Acrescentar o arroz e mexer em N até que os grãos fiquem soltinhos e ligeiramente translúcidos. Acrescentar o caldo de legumes e o sal.

Quando entrar em ebulição, tampar a panela e cozinhar em fogo médio, sem mexer, até que o arroz tenha absorvido todo o líquido. Outra opção é terminar o cozimento no forno, com o recipiente tampado, entre 190ºC e 200ºC por 20 minutos, aproximadamente.

Dicas:

  1. O pilaf pode ser feito com qualquer caldo (pato, cordeiro, boi, porco, frango, legumes etc.) e ainda pode ser guarnecido com legumes adicionados no início da cocção.

2. Como calcular a quantidade de arroz cru por pessoa:

  • Caso o arroz seja servido como acompanhamento, a quantidade de arroz para uma pessoa é de ¼ de xícara de chá de arroz cru, aproximadamente 50 gramas.
  • Se o arroz for servido como prato principal (risoto, galinhada etc.), a quantidade de arroz é de ½ xícara de chá de arroz cru para cada pessoa, aproximadamente 100 gramas
  • O arroz durante o cozimento quase triplica seu tamanho. Neste caso, 100 gramas de arroz cru equivalem a uma média de 260 a 280 gramas de arroz cozido.

Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@adrianatenchini

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.


Escritora, Produtora de Conteúdo, Publicitária e Gastrônoma.

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

Molho muito fácil de fazer e que pode incorporar sabor nas mais diversas iguarias. Um dos pratos mais conhecidos é o Salmão ao Molho de Maracujá. Mas, sejam ousados e experimentem este molho em outras preparações e analisem a resultado.

Gastronomia é isso!! Tentativas e erros… até a atingir o sabor ideal.

Molho de Maracujá

Categoria: Acompanhamento

Especificação: Molhos

Tempo de Preparo: 15 minutos

Rendimento: 4 porções

Dificuldade: Fácil

Ingredientes:

  • 2 unidades de Maracujá
  • 1 xícara (chá) de suco de maracujá concentrado
  • 2 colheres (sopa) de açúcar
  • 3 ramos de salsinha, em salpicon

Modo de Preparo:

Retire a polpa do maracujá. Em uma panela coloque a polpa, o suco concentrado e o açúcar. Leve ao fogo alto até começar a ferver. Reduza o fogo e deixe o molho engrossar por uns 5 a 8 minutos. Finalize com a salsinha.


Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Publicitária, Gastrônoma e Escritora

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

Essa receita é muito saborosa e proteica, além de ter lentilhas que “traz sorte” para o novo ano. A receita é da Paula Lumi, do site presunto vegetariano.

Rocambole Assado de Lentilha e Quinoa

Categoria: Acompanhamento / Guarnição, Prato Principal

Especificação: Vegana, Vegetariana

Rendimento: 6 porções

Dificuldade: Média

Ingredientes:

  • 1 xícara (de chá) de lentilha crua
  • 1 e 1/2 xícara (de chá) de água
  • 2 folhas de louro
  • 1/4 de xícara (de chá) de quinoa em grãos
  • 3 colheres (de sopa) de azeite
  • 5 dentes de alho bem picados
  • 1 xícara (de chá) de cebola bem picada
  • 2 colheres (de sopa) de suco de limão
  • 1 colher (de sopa) de orégano desidratado
  • 1/2 colher (de chá) de cominho (opcional)
  • 1/2 xícara (de chá) de aveia em flocos
  • 1/2 xícara (de chá) de farinha de trigo integral
  • Sal a gosto

Para a Montagem

  • 2 xícaras de molho de tomate conforme o seu gosto (para a montagem)
  • 1 xícara (de chá) de purê de batatas conforme o seu gosto
  • 6 unidades de vagem grandes
  • 6 palitos de cenoura
  • Papel Manteiga, papel alumínio ou plástico
  • Óleo

Modo de Preparo:

Coloque a lentilha em uma vasilha, cubra com o dobro de água e deixe de molho por 8 horas. Escorra, lave bem e coloque em uma panela, juntamente com 1 e 1/2 xícara de água e as folhas de louro e deixe cozinhar.

Enquanto isso, coloque a quinoa em uma vasilha pequena, cubra com água quente e deixe de molho por 2 minutos. Escorra lave bem e reserve.

Quando a lentilha estiver quase sem água, retire as folhas de louro, adicione a quinoa, misture e deixe cozinhar até a água do cozimento secar completamente.

Em seguida, adicione o azeite, o alho, a cebola, o suco de limão, o cominho, o orégano e tempere com sal a gosto. Misture bem e deixe cozinhar por cerca de 3 minutos, mexendo sempre para não queimar.

Desligue e acrescente a farinha de trigo integral, a aveia em flocos, misture bem e deixe esfriar completamente, para não atrapalhar a montagem (vai levar cerca de uma hora e meia).

Enquanto isso, prepare o molho de tomate e o purê conforme o seu gosto. Também cozinhe 6 unidades de vagem e 6 palitos grandes de cenoura em água fervente por 5 minutos. Escorra e reserve.

Pré aqueça o forno a 240ºC e coloque uma folha de papel manteiga com cerca de 40cm sobre uma superfície limpa. Distribua a mistura de lentilha e quinoa até formar um retângulo com cerca de 30cmx20cm e aperte bem, ajeitando as laterais.

Dê 2cm de distância da borda e distribua uma camada de purê. Disponha a vagem e a cenoura sobre ele e em seguida enrole o rocambole. Procure deixar o rocambole bem firme, e para isso aperte bem. Unte uma assadeira antiaderente com uma colher de sopa de óleo, disponha o rocambole sobre ela, ajeite as laterais e pincele óleo sobre toda a superfície dele.

Leve para assar por 30 minutos a 240ºC e em seguida retire do forno. Cubra o rocambole com metade do molho e deixe a outra parte para a hora que for servir. Devolva ao forno por mais 10 minutos e está pronto! Regue com azeite para servir.

Dicas:

Você pode fazer a massa de lentilha e quinoa no dia anterior da sua ceia e deixar em uma vasilha fechada, na geladeira, para montar no dia seguinte. Caso a sua massa ficar um pouco ressecada regue com um fiozinho de azeite.


Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Publicitária, Gastrônoma e Escritora

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

Uma salada saudável e saborosa acompanhada de Molho Golf. Um molho untuoso e adocicado, super fácil de ser elaborado. Faça em casa!

Salada Mista com Molho Golf

Categoria: Entrada, Acompanhamento / Guarnição

Especificação: Salada

Rendimento: 2 a 3 porções

Tempo de Preparo: 30 minutos

Dificuldade: Fácil

Ingredientes:

  • 140 g de couve-flor
  • 140 g de brócolis
  • 140 g de palmito cortado em diagonal
  • 3 rodelas de abacaxi cortadas em cubos
  • 1 unidade de cenoura cortada em rodelas de 1 cm de espessura
  • 5 folhas de alface crespa cortadas em chiffonade
  • 10 ml de azeite
  • Sal, q.b.[1]
  • Pimenta do reino, q.b.
  • 4 fatias de pão de forma cortados em cubinhos

Molho:

  • 100 g de maionese
  • 100 g de catchup
  • 100 g de mostarda
  • 1 colher (sopa) de conhaque
  • 1 colher (sopa) de molho inglês

[1] Quanto Bastar.

Modo de Preparo:

Cozinhar no vapor a couve-flor e os brócolis. Juntar todos os ingredientes em uma tigela e misturar bem. Em uma frigideira colocar uma colher de manteiga e dourar os cubos de pão de forma para fazer os croutons.

Molho:

Misture muito bem todos os ingredientes. Deixe descansar em temperatura ambiente por cerca de uma hora. Misture novamente e sirva gelado.

Dicas:

Sirva a salada com MOLHO GOLF e acompanhada dos croutons.


Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Publicitária, Gastrônoma e Escritora

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

Esse untuoso e adocicado molho foi difundido pelos livros “Dona Benta – Comer Bem” e fazia parte dos cardápios brasileiros nas décadas de 1950, 60 e 70. A sua origem é controversa. Os argentinos reivindicam sua paternidade. Segundo eles, o molho foi criado em 1920 por Luís Frederico Leloir, vencedor do prêmio Nobel de química argentino. Leloir, cansado de comer o mesmo prato de camarões que lhe serviam no restaurante do campo de golfe, pediu ao garçom que trouxesse ketchup, maionese e alguns temperos. Juntou tudo e criou o “Salsa Golf” (molho Golf). Outros acreditam que o molho golf descende do molho Gloucester (maionese, creme azedo ou de leite, suco de limão, erva-doce picada e molho inglês).

O que importa é que o molho Golf é delicioso e pode acompanhar carnes frias e saladas.

Molho Golf

Categoria: Acompanhamento / Guarnição

Especificação: Molhos, Cozinha Internacional.

Rendimento: 4 porções

Tempo de Preparo: 10 minutos

Dificuldade: Fácil

Ingredientes:

  • 100 g de maionese
  • 100 g de catchup
  • 100 g de mostarda
  • 1 colher (sopa) de conhaque
  • 1 colher (sopa) de molho inglês

Modo de Preparo:

Misture muito bem todos os ingredientes. Deixe descansar em temperatura ambiente por cerca de uma hora. Misture novamente e sirva gelado.

Dicas:

Pode ser servido com carnes fria e saladas.


Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Publicitária, Gastrônoma e Escritora

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

Uma receita simples que pode servir de acompanhamento perfeito para carnes bovinas ou suínas. Experimente!

Farofa com Linguiça

Categoria: Acompanhamento / Guarnição

Especificação: Farofa

Rendimento: 6 porções

Tempo de Preparo: 30 minutos

Dificuldade: Fácil

Ingredientes:

  • 50 g de manteiga
  • 1 cebola média ralada
  • 2 dentes de alho amassados
  • 250 g de linguiça toscana fina picadinha
  • 2 maçãs sem casca picadinha
  • 150 g de nozes esfareladas
  • 2 xícaras (chá) de farinha de mandioca
  • ½ xícara (chá) de salsa picada

Modo de Preparo:

Leve ao fogo uma frigideira com a manteiga, o alho, a cebola e a linguiça. Deixe-os fritar, mexendo sempre, por 10 minutos ou até a linguiça esteja desfeita e cozida. Junte a maçã e as nozes. Mexa bem. Adicione, aos poucos e mexendo sempre, a farinha de mandioca até obter uma farofa. Retire-a do fogo, acrescente a salsa e misture.


Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Publicitária, Gastrônoma e Escritora

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

Este patê é feito com ervilhas, que são super saborosas. É perfeito para servir com pães, torradas, biscoitinhos ou legumes, podendo ser servido como entradas, acompanhamentos, nos lanches ou como petiscos nas reuniões com os amigos.

Patê de Ervilha

Categoria: Entrada fria, Acompanhamento, Lanches, Petisco

Especificação: Patê

Rendimento: 2 porções

Tempo de Preparo: 20 minutos

Dificuldade: Fácil

Ingredientes:

  • 2 xícaras (chá) de ervilhas
  • 4 colheres (sopa) de azeite
  • Sal a gosto
  • Azeitonas a gosto (opcional)
  • Ervas a gosto (manjericão, cebolinha e orégano)

Modo de Preparo:

  1. Cozinhe as ervilhas, reserve.
  2. Bata todos os ingredientes no liquidificador.  

Dicas:

  1. Sirva com torradas, biscoitos, pão sírio ou palitos de legumes.
  2. Se usar a ervilha em conserva, deve escorrer bem o líquido da embalagem.

Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Publicitária, Gastrônoma e Escritora

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

Precisa preparar algo rápido? Não sabe o que fazer? Que tal um patê usando ingredientes que tem em sua geladeira! O patê de cenoura é super fácil, muito saboroso e pode servir como entrada, acompanhamento ou lanche. Prove!

Patê de Cenoura

Categoria: Entrada fria, Acompanhamento, Lanches, Petisco

Especificação: Patê

Rendimento: 2 porções

Tempo de Preparo: 20 minutos

Dificuldade: Fácil

Ingredientes:

  • 2 cenouras inteiras
  • 1 cebola picadinha (brunoise)
  • 4 colheres (sopa) de azeite
  • Sal a gosto
  • Ervas a gosto

Modo de Preparo:

  1. Refogue a cebola, reserve.
  2. Cozinhe a cenoura até ficar bem macia.
  3. Bata todos os ingredientes no liquidificador.

Dicas:

Sirva com torradas, biscoitos, pão sírio ou palitos de legume.


Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Publicitária, Gastrônoma e Escritora

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

Patê feito à base de grão de bico. É uma ótica dica para ter uma refeição saudável e saborosa. Um dos famosos pratos da cultura árabe. Apesar de sua origem ser contestada, acredita-se que ele vem da região Shami (Líbano, Israel, Síria, Jordânia). O Homus pode ser usado de diversas formas, como entrada ou acompanhamento de ave e peixes, e fica delicioso sobre fatias de berinjelas assadas.

Homus – Patê de Grão de Bico

Categoria: Entrada fria, Acompanhamento, Lanches, Petisco

Especificação: Patê, Cozinha Árabe

Rendimento: 6 porções

Tempo de Pré preparo: 12 horas

Tempo de Preparo: 1 hora

Dificuldade: Média

Ingredientes:

  • 2 xícaras (chá) de grão de bico
  • 3 dentes de alho amassado
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • Suco de ¼ de limão
  • Sal a gosto
  • Pimenta do reino a gosto
  • Páprica defumada a gosto
  • Cúrcuma a gosto
  • Ervas a gosto (salsinha, cebolinha e manjericão)

Modo de Preparo:

Deixar o grão de bico de molho de preferência da noite para o dia. Colocar para cozinhar em panela de pressão. Deixar amornar e retirar as cascas do grão de bico. Utilizar uma peneira com tela de metal para retirar as cascas, porém, os grãos devem estar bem cozidos.

Bater o grão de bico com os dentes de alho no liquidificador até virar uma pasta. Se necessário, acrescentar um pouco de água filtrada para facilitar, mas a pasta não pode ficar líquida. Tem que ficar bem densa. O ideal é bater o grão de bico de pouco a pouco, desliga o liquidificador e em seguida coloca mais um pouco de grãos para evitar o uso de água. Depois de bem batido, acrescentar a tahine, o azeite, o limão, o sal e os temperos.

Dicas:

Sirva com pão sírio, biscoito, torrada ou palitos de legumes.


Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Publicitária, Gastrônoma e Escritora

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

O Babaganoush é uma receita clássica árabe. É um patê de berinjela com sabor defumado e textura cremosa feito a base de tahine (pasta de gergelim). As berinjelas devem ser queimadas na chama do fogão para que tenha o sabor defumado. Existem algumas receitas que assam a berinjela no forno, porém, perde o sabor característico do prato. Não se preocupe, é fácil de fazer.

Babaganoush

Categoria: Entrada, Acompanhamento / Guarnição, Lanche, petisco

Especificação: Patê, Cozinha Árabe

Rendimento: 6 porções

Tempo de Preparo: 30 minutos

Dificuldade: Fácil

Ingredientes:

  • 2 berinjelas
  • 3 dentes de alho amassados
  • Suco de 1 limão
  • 2 colheres (sopa) de tahine (pasta de gergelim)
  • ¼ xícara (chá) de azeite
  • Sal a gosto
  • Pimenta do reino a gosto
  • Páprica defumada a gosto
  • Ervas a gosto (Salsinha, cebolinha, manjericão)

Modo de Preparo:

As berinjelas devem ser defumadas, para isso, lave e seque-as. Em seguida, coloque-as direto na chama do fogão. À medida que a casca for queimando, vá virando a berinjela para que ela queime por igual. Este processo leva de 10 a 15 minutos. O ponto certo é quando a casca estiver já bem carbonizada e começar a escorrer um caldinho da berinjela. Quando escorrer este líquido, a berinjela já está bem cozida por dentro.

Quando estiver morna, corte as berinjelas ao meio, no sentido do comprimento e retire toda a polpa com uma colher. Descarte a casca e coloque a polpa em uma peneira por alguns minutos para escorrer o excesso de líquido. Em um liquidificador ou processador adicione o alho, o suco de limão, a tahine e a polpa da berinjela. Bata até formar uma pasta. Acrescente o azeite e os temperos.

Dicas:

Sirva com pão sírio, biscoito, torrada ou palitos de legumes.


Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Publicitária, Gastrônoma e Escritora

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

para celebrar a chegada da primavera. O Hotel Waldorf Astoria é um dos hotéis mais glamourosos dos Estados Unidos e até hoje essa salada continua a ser o prato mais popular do menu. A receita inicial continha somente três itens: maçã, salsão e maionese. Ao longo do tempo, foram adicionando mais ingredientes como nozes, passas ou alface. É um prato super fácil de fazer. Na receita a seguir foram adicionados mais alguns itens tais como abacaxi, laranja, dentre outros.

Salada Waldorf, delícia nova-iorquina.

Categoria: Entrada, Acompanhamento / Guarnição

Especificação: Salada

Rendimento: 2 a 3 porções

Tempo de Preparo: 30 minutos

Dificuldade: Fácil

Ingredientes:

  • 100 g de maçã verde cortadas em Julienne
  • 100 g de salsão cortados em Julienne
  • 140 g de abacaxi cortados em julienne
  • 30 g de maionese
  • 100 g de creme de leite fresco
  • Alface crespa, q.b.[1]
  • Alface roxa
  • Tomate cereja, q.b.
  • Cebolinha, q.b.
  • Salsinha, q.b.
  • 20 g de nozes triturada
  • Gomos de laranja, q.b.

Modo de Preparo:

Misturar a maçã, o salsão e o abacaxi em uma vasilha própria para saladas. Reserve. Bater o creme de leite até que emulsione (ponto de chantilly). Misturar a maionese com a maçã, o salsão e o abacaxi reservado e envolvê-los com o creme de leite.

Montagem:

Colocar em uma travessa decorando com alface (crespa e roxa), tomate cereja, cebolinha e salsinha. Finalizar com as nozes por cima da salada e os gomos de laranja em volta.


Esta receita foi testada previamente e faz parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou da Receita? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Publicitária, Gastrônoma e Escritora

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.