Ceia – Réveillon

Réveillon

O Réveillon ou Ano-Novo é a celebração de um novo ano que se inicia e é comemorado na noite do dia 31 de dezembro para o dia primeiro de janeiro. A palavra Réveillon significa “acordar” ou “despertar” e tem origem francesa. A origem dessa festa é muito antiga, por volta de 2000 a.C., na Mesopotâmia, o “Festival de Ano-Novo”. Os gregos, fenícios, assírios e persas também comemoravam a passagem de ano.

No século VIII a.C., o mês de janeiro foi criado pelos romanos em homenagem a Jano, deus romano das mudanças e das transições. Porém, as comemorações de passagem de ano aconteciam em março, início da primavera. Em 46 a.C., o antigo calendário romano foi trocado pelo calendário Juliano – em homenagem a Júlio César -, mas ainda era estabelecido como o início do ano em março.

Com a Europa sendo cristianizada, alguns lugares negavam-se a comemorar a passagem do ano em janeiro por ser seu nome uma homenagem a um deus pagão. Apesar disso, alguns povos, como os francos instituíram o 1º de janeiro como a passagem de ano. A data foi cristianizada e tornou-se o Dia da Circuncisão. Após a cristianização da data, alguns reinos cristãos da Península Ibérica adotaram como início do ano, enquanto outros disputavam para que o dia 25 de março, Dia da Anunciação fosse considerado a passagem de ano.

No século XVI, houve nova mudança de calendário. O Juliano tinha uma diferença de três dias a cada 400 anos. Surgiu assim, o calendário gregoriano, criado pelo papa Gregório XIII e neste novo calendário, o dia 1º de janeiro passou a constar como o primeiro dia do ano. Aos poucos os outros países foram adotando o novo calendário. Portugal, um país muito católico obedeceu de imediato as ordens do papa, porém, outros demoraram um pouco mais, como o exemplo da Inglaterra que somente aderiu no século XVIII. O Brasil por ter influência portuguesa também o adotou.

Nos dias atuais, o mundo segue oficialmente o calendário gregoriano, porém, a comemoração do ano novo no dia 1º de janeiro é uma tradição ocidental e cristã. Alguns povos utilizam outras datas para celebrar o Ano-Novo. Como exemplo temos os chineses que comemoram entre janeiro e fevereiro; os muçulmanos, no mês de maio; e os judeus, no final de setembro e início de outubro.

A forma de comemorar esta passagem de ano varia de acordo com as tradições de cada país. Aqui no Brasil, por termos raízes africanas, herdamos muitas tradições de suas religiões, tais como candomblé e, principalmente, a umbanda. É comum ver nas praias de todo o país oferendas para Iemanjá. Essas homenagens são realizadas até por pessoas de outras religiões. O próprio costume de vestir roupas brancas é uma forma de reverenciar as cores de Oxalá.

O Réveillon é o período de renovação, de novos planos, mudanças de vida…. Um recomeço! E para dar uma “forcinha”, o brasileiro sempre tem em mãos diversas simpatias e “mandingas”. Falarei sobre algumas no post Simpatias – Alimentos no Réveillon.


Referências:

PENA, Rodolfo F. Alves. “Ano-Novo e Réveillon”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/reveillon.htm. Acesso em 09 de dezembro de 2021.


Todas as receitas apresentadas neste site foram testadas previamente e fazem parte do Livro “Diário da Gastronomia: De tudo… Um pouco.” Autora: Adriana Tenchini (Projeto em andamento, ainda sem data de publicação).


Gostou das Receitas? Então Compartilhe.
Alguma dúvida ou sugestão? Poste aqui ou, se preferir, envie um e-mail adrianatenchini@outlook.com

Escritora, Produtora de Conteúdo, Publicitária e Gastrônoma.

E não esqueça de seguir as minhas redes sociais.

%d blogueiros gostam disto: